pulsando

Seguidores

terça-feira, 17 de abril de 2012

Conto poético: FANTÁSTICOS MOMENTOS


Ou, quem sabe, divinas frações de segundos, que
valeram por toda uma eternidade.
O tempo parou.
Não amanheceu...
O sino não dobrou, e o pássaro emudeceu.
Nada  se percebeu.
Foi uma viagem na intimidade da alma, na
privacidade das emoções.
Somente os instintos estavam autorizados...
nos extremos liberados.
A vez da insanidade, das explosões do querer,
não  importando  o que...
Mas valeu atender.
E o tempo, parado, permaneceu.
Apenas o ponteiro do relógio, impaciente, seguia
em frente.
Não se falava. Só os gritos se escutava.
O silêncio se mudou  das trevas, invadidas pela
beleza do amor, pelo maravilhoso cheiro de uma
ardente flor... regada pelo extrato da vida.
Até os anjos, disfarçados de estrelas e da luz do
luar, pela vidraça vieram  saudar, duas almas que
diziam tudo, sem falar.
Apenas poemas, além do intenso amor, tomaram
conta do ninho, explicando a doçura de toda  aquela
fantástica loucura !

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Oi, amiga Gracita !
    Que maravilha te receber.
    Fico feliz em saber que toco os
    teus sentimentos.
    Muito agradecido.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  3. Olá Sinval!
    Lindo esse conto poético!
    Eu me encanto com poesias, ainda mais quando cheias de inspiração. Parabéns!
    Li Barbosa

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lilian Barbosa.
    Que satisfação receber a tua
    manifestção, tão carinhosa.
    Muito obrigado.
    Um abraço afetuoso.
    Sinval.

    ResponderExcluir

Querido leitor...seu comentário é muito importante para mim. Obrigado.