pulsando

Seguidores

domingo, 20 de maio de 2012

Conto poético: O FLERTE





Discreta, como ninguém,  me olhas, e  fico
feliz.
Conversamos, sem falar,  apenas pelo brilho
do olhar.
Entendo o que me dizes.  Mudo de cor, pois só
transpiras  amor...
Tua face mostra a ternura, mas também a angústia,
de quem quer se aproximar.
Presto atenção  em tua  formosura,  mas pode 
ser um olhar distraído e eu, inibido, equivocado
interpretar.
Resta-me esperar.
Enquanto isto, tuas mãos admiro, pelos gestos
delicados, na forma de tocar.
Teu sorriso me paralisa,  me enche de fantasia,
me faz flutuar.
Mas tua simplicidade, sim, é o contraste com a
majestade, desse jeito meigo de falar.
Não sei por quanto tempo, vou suportar o silêncio.
Estou envolvido em tua beleza, nessa alma, sem
tristeza, me fazendo sonhar.
Como é bom contigo flertar !
Imagino tudo o que gostaria, de ti, ouvir.
Abraço o teu corpo... que  mesmo estando ausente,
me dá o presente, da tua boca beijar.
Hoje, mesmo, te vi passar.
Contive meus impulsos, pois queria minha paixão
confessar.
Novamente, olhaste em meus olhos, com brandura,
carinho, e ternura.
Fiquei desconsertado. Tinha alguém em meu lugar ...
 

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, minha amiga Gracita !
    Tua presença já é um comentário,
    e uma grande alegria, mesmo que
    nada escrevesses.
    Estarei torcendo, e muito, pelo teu
    irmão.
    Obrigado pelo carinhoso mimo(lindo).
    Sinval.

    ResponderExcluir

Querido leitor...seu comentário é muito importante para mim. Obrigado.