pulsando

Seguidores

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Conto poético: SALVE-SE QUEM PUDER


Bandido aprendeu: matar e roubar,  não 
 são crimes nem pecados.
Tudo isto foi, pelo homem,  inventado.
Pode estar equivocado, ou é coisa do passado.
Agora, a moda é outra...
Quem condenou, está sendo condenado.
Roubou demasiado.
Uma vergonha sem precedente, pois  
ex presidente de ladrão está rotulado.
É roubo para todo lado.
Até  "Ali Babá"   foi humilhado.
Seus  40 ladrões  traíram o chefe e entregaram 
a senha:  " abre-te Sésamo " .   
A caverna se abriu, a polícia invadiu e 
 o mistério foi desvendado.
A culpa é de uma mulher que já morreu...
Ufa ! 
Que alívio, pois o povo imaginava que o  grande
culpado fosse um homem
 malvado, um " cara de pau",  safado
 e outros predicados.
Que  injúria, coitado !
Salve-se, quem puder !
 
Sinval Santos da Silveira



8 comentários:

  1. Concordo em tudo, meu amigo Sinval! Êta país ordinário, pobre de nós! Derrubam um, nascem dez para o mesmo cargo. Parecem coelhos se reproduzindo. E todos lavam suas mãos imundas. Ninguém sabe, ninguém viu. Graças ao método Lava-Jato é que estão descobrindo, graças a essa Delação premiada. Se não fosse assim, as coisas jamais viriam à tona.
    Beijo, querido amigo poeta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, querida Vizinha, Taís Luso !
      ... e a culpa é do sistema de aposentadoria,
      mesmo em valores miseráveis. Caras de pau !
      Um carinhoso abraço, Escritora competente, e
      muito grato pelo comentário.
      Uma ótima semana.
      Sinval.

      Excluir
  2. Vivemos tempos estranhos, como afirmou hoje o Ministro Marco Aurélio de Melo - tempos estranhos ... muito estranhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Amigo Paulo Abreu !
      Sem dúvida, o Ministro tem razão.
      Para sermos educados, "vivemos tempos
      estranhos".
      Muito grato, pelo registro, e uma
      ótima semana. Um fraternal abraço.
      Sinval.

      Excluir
  3. Realmente está muito difícil salvar-se desse lamaçal de inversão de valores éticos de vida...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Poetisa, Célia Rangel !
      Este é o meu País.
      Tenho o dever de salva-lo, com as armas de
      que disponho, ainda que através de texto,
      como este.
      Muito grato pela atenção, Amiga, e um
      abraço, aqui do Brasil.
      Sinval.

      Excluir
  4. Sinval
    quanta imaginação e originalidade neste poema tão bem rimado e melodioso
    confesso que sorri!
    bom fim de semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  5. Querida Amiga, Piedade Araújo Sol !
    Meu País atravessa uma crise de corrupção,
    sem precedência. Sinto-me envergonhado...
    Muito grato pelo registro e um fraterno
    abraço, aqui do Brasil.
    Sinval.

    ResponderExcluir

Querido leitor...seu comentário é muito importante para mim. Obrigado.