pulsando

Seguidores

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Conto poético: SOLIDARIEDADE




Tenho assistido a muitas atitudes generosas.
Pessoas que fazem campanhas de socorro, em épocas
de inverno, tragédias  decorrentes de eventos climáticos,
etc.
São entes, ou entidades, sensíveis aos problemas humanos.
Louváveis iniciativas.
Mas sei de um fato que, por sua  essência, e pela profunda
admiração do gesto, merece destaque.
Dois velhos amigos  se  encontram, casualmente, em praça
pública.
Um militar. O outro civil.
O militar, fardado, estranha  a aparência de mendicância do
seu amigo. Descalço, roupas em frangalhos... e com fome.
Leva o amigo a sua casa humilde, no alto do Morro da Cruz,
e lhe oferta  o seu terno de roupas, calçado, camisa e tudo
mais.
Dá-lhe de comer e beber, além de um abraço emocionado,  e
acolhedor.
Quando o homem, finalmente, foi embora, sua mulher lhe
advertiu que havia doado o seu único traje civil.
Ao que lhe respondeu, o seu marido :
"Exatamente por isto, doei aquelas roupas, por força dos meus
sentimentos.
Caso tivesse muitas outras seria, apenas, a cessão  de algumas
coisas que estavam em meu poder, talvez sem uso.
Fico muito feliz em  socorrer o meu velho amigo.
Tenho certeza, absoluta, de que ele faria o mesmo por mim."
Incrível,  aquele homem. Não, apenas,  foi solidário a uma situação
de penúria humana, mas legou ao seu filho, que a tudo assistiu, o 
exemplo da nobreza da caridade, além  da lealdade à  uma amizade
sincera.
Eu era, somente, um menino, mas senti muito orgulho do  meu pai.
Não terei a menor dúvida de fazer o mesmo, se houver  episódio
semelhante,  em minha vida...

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gracita,
    minha amiga de todas as horas !
    Deixaste-me com um nó na garganta.
    Muito obrigado pela compreensão de
    algo tão pessoal.
    Um fraterno carinho.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Oi, Marina Linhares !
      Fico envaidecido em receber o teu entusiasmo
      em meu blog.
      Muito agradecido. Volte sempre, por favor.
      Um fraternal abraço.
      Sinval.

      Excluir
  4. Oi, Augusta Tina !
    Muito obrigado pela generosa manifestção,
    e agradável visita.
    Um carinhoso e fraternal abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir

Querido leitor...seu comentário é muito importante para mim. Obrigado.