pulsando

Seguidores

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Conto poético: O MISTÉRIO DA LANCHONETE


 
O bairro onde moro, é igual a tantos outros.
Possui uma área residencial  expressiva, bem  como  uma
forte atividade  econômica.
Destaca-se,  porém,  pela concentração de  universidades,
públicas e privadas, o que eleva, em muito, a presença de
uma juventude alegre e próspera.
Passei  a observar, com mais atenção, o comportamento das
pessoas, em relação a este fomento social, em todos os
segmentos.
Uma das universidades, que conta com milhares de alunos,
possui, em seu "campus",  bons restaurantes e lanchonetes, 
à disposição  da grande clientela.
Entretanto, um fenômeno vinha ocorrendo, na preferência da
freguesia.
Os jovens preferiam uma lanchonete, localizada  na periferia
daquela universidade,  bem distante das  congêneres internas.
Por que isto vinha ocorrendo ?
A espionagem interessada, logo foi investigar as razões.
Um grupo de estudantes de sociologia, liderado por um
professor da área, foi  observar o mistério.
A "comissão" passou a frequentar a  lanchonete, para poder
tirar as suas conclusões.
A qualidade dos lanches, era igual, ou inferior, em relação aos
demais.
Os preços, superiores.
O conforto, inferior, incomparável ao do campus.
Sob a alegação de que poderia chamar muito a atenção do
proprietário, bem como dos frequentadores, o  professor,
estranhamente,  dispensou todos os demais membros  do
grupo, e passou a  observar,  sozinho, aquele "fenômeno".
Mas começou a faltar  aos seus compromissos de mestre, sem
dar satisfação aos  superiores. A especulação, e boataria, ficaram
incontroláveis.
Permanecia,  naquela  lanchonete, quase o dia todo, se abarrotando
de lanches....
Finalmente, o mistério foi desvendado.
Residia, tudo isto,  numa belíssima e irresistível atendente, que
trabalhava naquele comércio.
O professor casou com a moça...
A lanchonete "quebrou", e a normalidade voltou aquele  campus.
 
 
 

20 comentários:

  1. Interessante...O Professor não só desvendou o mistério, como também casou-se com o Doce Mistério.

    Eu nem imaginei esse final..Achei que os Jovens iam lá pra usarem drogas, ou coisa do tipo, que seria uma pena.

    Bjo Amigo Sinval!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, querida amiga, Mary !
      Também, imaginei o mesmo. Mas a
      mulher é mais surpreendente !
      Muito grato por tua carinhosa
      atenção.
      Um fraternal abraço, e uma Boa
      noite.
      Sinval.

      Excluir
  2. O amor tem seus caminhos e onde menos se espera acontece.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiii, amiga Guaraciaba Perides !
      É sempre surpreendente, querida.
      Muito agradecido por tua presença,
      e atencioso comentário.
      Um fraterno abraço, e uma Boa noite.
      Sinval.

      Excluir
  3. Aqui era a questão chave. A bela que ele queria.
    Um grande abraço para você

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga, Sara O. Durãn !
      Muito agradecido por tua
      carinhosa presença e
      comentário. Fico muito
      feliz.
      Um fraterno abraço, aqui
      do brasil.
      Sinval.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Oiii, "O meu pensamento viaja"
      ...Certamente, com os teus votos,
      será. Desejo-te o mesmo, amiga
      querida. Muito grato.
      Sinval.

      Excluir
  5. Um conto muito bom de ler, bem escrito e o final bem legal,! abraços,ótimo fds! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida amiga, Chica !
      Muito agradecido pelo amável
      comentário. Fico feliz !
      Igualmente, um ótimo fim de
      semana. Um fraterno abraço.
      Sinval.

      Excluir
  6. Siempre interesantes tus textos . Un cariño grande para tí Sinval. beoso
    MUITA LUZ PRA VOCE :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria del Carmen Nazer,
      querida amiga !
      Fico muito agradecido, e comovido,
      com tua carinhosa atenção.
      Um feliz domingo, e um abraço
      fraterno.
      Sinval.

      Excluir
  7. Preciosa imagne y certeros versos.
    Nos leemos.

    Saludos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jorge Ampuero !
      Muito grato pelo amável
      comentário. Fico Feliz !
      Um ótimo domingo, e um
      fraterno abraço, aqui do
      Brasil.
      Sinval.

      Excluir
  8. Amigo Sinval. É uma satisfação reencontrá-lo nas nuances da vida. Desta vez na condição de fraternidade. Parabenizo a você por tornar a vida humana mais leve, sensível e ousada. Suas palavras embelezam as virtudes, acolhem as intempéries e emancipam o bem viver. Afetos, Jeferson Rodrigues.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Girlane Peres !
      Teu doce comentário, é um poema.
      Fico muito grato e feliz, com
      tanta amabilidade.
      Um fraternal abraço, querida.
      Sinval.

      Excluir
  9. Respostas
    1. Oi, querida Sofiaaurora !
      Fico muito agradecido, por tua
      generosa atenção.
      Um carinhoso abraço, aqui do
      Brasil.
      Sinval

      Excluir
  10. Olá Sinval :)
    Adorei sua visita!
    Que conto ótimo...
    Ainda bem que foi desvendado o mistério da tal lanchonete né?rsrs
    O professor foi bem espertinho.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clau !
      Muito agradecido por tua pronta
      visita.
      Pois é... o professor foi um
      espertalhão ! Foi alto o seu
      "honorário".
      Um carinhoso abraço.
      Sinval.

      Excluir

Querido leitor...seu comentário é muito importante para mim. Obrigado.