pulsando

Seguidores

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

POEMA: Homenagem aos Pais





Amanhece  a vida.
Chega  a minha consciência.
Torceste para ser longo, o meu dia de existência.
Tudo era novidade.
Não sabia, claramente, se estava diante de um homem,
ou na presença de Deus.
As horas vão passando, e aprendo a reconhecer.
Fico surpreso !
Não és, apenas, um homem.

Também,  não és Deus.
És o meu pai. O meu sagrado pai !
Aquele que mostrou os meus caminhos, desviou-me
dos espinhos, procurou fazer-me feliz.
Ensinou-me tudo, acerca da vida, e a todos amar.

Hoje sei  distinguir o bem do mal, o certo do errado...
e continuo sendo amado, ainda que não estejas mais
aqui.
Tuas profundas pegadas, teu sorriso e o teu afago,
fazem parte do meu ser.

Todo o teu amor, transferiste para mim.
As lembranças que carrego, desde os tempos de
criança, são frutos do teu viver._ 

O suor da tua face, mistura-se  às lágrimas  que dos meus
olhos rolam, com a cor da felicidade, e o sabor da saudade.
Desculpa-me por minha existência  haver exigido tanto de ti...
Agora, aceita meu beijo, no rosto ou  na alma, neste teu dia,

tão merecidamente festivo.
Bendito seja Deus, que me permitiu ser o teu filho, querido pai !
 Sinval Silveira

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Querida Socióloga, Guaraciaba Perides !
      Lembranças das profundezas da alma...
      Muito grato, querida, pela atenção e
      registro !
      Um fraterno abraço e uma feliz semana.
      Sinval.

      Excluir
  2. Minas Gerais, 13 de agosto de 2017

    Carta que escrevo ao Sinval Pereira, sob os cuidados da Verinha Portella

    Quando leio um poema deste porte, sou levado ao tempo que vim ao mundo, ao tempo das cartas, de ouvir rádio, brincar na rua e esperar meu pai chegar em casa, depois de um longo dia na cidade trabalhando para sustentar os filhos.

    Sinval, Deus o abençoe hoje e sempre pelo dom de transmitir palavras tão belas e envolventes. Eu, como pai, nesta geração cibernética, também passo para minhas filhas esta humanidade, mostro seus poemas, e isto nos faz bem.

    Um abraço do seu leitor

    Paulo Abreu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Poeta/Paulo Abreu, bom dia !
      Poxa vida !
      E agora, quem vai estancar estas minhas lágrimas?
      Quantas recordações me propiciaste !
      Muito agradecido, amigo, e um fraterno
      abraço, desejando uma semana muito feliz,
      junto aos teus amores.
      Sinval.


      Excluir
  3. Maravilhoso poema de homenagem ao Pai, a mostrar toda a sua sensibilidade.
    "As lembranças que carrego, desde os tempos de
    criança, são frutos do teu viver."
    Gostei tanto, meu querido Amigo.
    Um beijo daqui de Portugal.

    ResponderExcluir
  4. Lindo, emocionante.
    Que bom seria se esse sentimento, esse grande amor, estivesse sempre presente no coração dos filhos. O mundo seria bem melhor.

    Um abraço.

    ResponderExcluir

Querido leitor...seu comentário é muito importante para mim. Obrigado.